No curtiu? YouTube passar a ocultar nmero de dislikes em vdeos para combater o bullying

[ad_1]

O YouTube anunciou oficialmente nesta quarta-feira (10) que tornará o número de “dislikes” privado em todos os vídeos da plataforma. Isso significa que nenhum usuário — exceto o responsável pelo conteúdo — poderá ver a quantidade de vezes que as pessoas marcaram o vídeo como “Não gostei”.

A plataforma argumenta em prol do combate ao bullying e assédio em seu blog oficial, afirmando que “buscam ser um ambiente onde criadores de conteúdo de diferentes tipos podem encontrar e compartilhar suas vozes”.


O anúncio é dado em meio às novas políticas de diretrizes do YouTube, que passou a implementar um regulamento mais rígido contra fake news e controle de qualidade para conteúdo infantil. Além disso, outras plataformas massivas estão reforçando suas medidas de proteção contra assédio, como o Facebook e Instagram.

Vale ressaltar que o botão de dislike não será removido, portanto, os usuários ainda poderão contribuir para que os algoritmos sejam mais precisos ao recomendar novos vídeos.

Além disso, os membros da comunidade ainda poderão compartilhar seu feedback sobre o conteúdo com os criadores, mas isso passará a ocorrer de forma privada — o autor poderá ver a quantidade de dislikes junto às outras métricas de um vídeo no YouTube Studio.


Inspirado na Twitch: YouTube ganhar




Google
29 Out



YouTube anuncia novas regras e deve desmonetizar canais infantis de m




Curiosidade
26 Out


Durante a fase de testes com a ausência do contador de dislikes, o YouTube concluiu que os usuários decidiam se iriam ou não iriam assistir um vídeo com base no número de vezes que o publicou marcou o conteúdo como “Não gostei” e reconheceu sua utilidade, mas acredita que a mudança é válida para favorecer os influencers.

“Nós queremos criar um ambiente inclusivo onde criadores têm a oportunidade de ter sucesso e se sentirem seguros para se expressarem”, declara o YouTube, acrescentando que esta é “apenas uma das medidas tomadas para proteger os criadores de assédio”.

O que você achou da iniciativa do YouTube? Comente sua opinião!

[ad_2]

Source link

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*