Algoritmo do YouTube contestou mais de 722 milhões de vídeos por direitos autorais, diz relatório

[ad_1]

O YouTube divulgou nesta segunda-feira (06) em seu blog o primeiro relatório de transparência referente às reinvindicações de direitos autorais realizadas na plataforma de streaming no último semestre deste ano.

Segundo a empresa, mais 722 milhões de reivindicações, 99% do total, foram feitas por meio da ferramenta Content ID, recurso capaz de identificar automaticamente possíveis violações em faixas de áudio ou vídeo, número bastante superior ao que foi identificado pelo Copyright Match Tool, que removeu cerca de 1,6 milhão de solicitações.


YouTube Music recebe recurso familiar para usuários do Google Play Música




Google
05 Dez



Google lança Doodle com quebra-cabeça interativo para celebrar a pizza




Google
06 Dez


Esses números consideram diversos fatores que podem contribuir para que um conteúdo seja identificado como violador dos direitos, distinguindo de forma precisa qual trecho contém uma música, áudio ou imagem que tem seu uso protegido e resguardado pela empresa que detém seus direitos.

O relatório afirma que menos de 1% dos criadores de conteúdo questionam a decisão dos algoritmos quanto às notificações de copyright, número que equivale a cerca de 3,6 milhões de disputas.

Indo mais além, os dados revelam que quando há alguma disputa em decorrência de possíveis violações cerca de 60% dos casos são julgados favoráveis ao youtuber, enquanto 40% é decidida em favor do reclamante, que tem até 30 dias para remover sua acusação em caso de disputa com o canal.

Estamos empenhados em garantir que o YouTube continue a ser uma comunidade vibrante com sistemas sólidos em vigor para permitir que os detentores de direitos gerenciem seu conteúdo no YouTube, e estamos ansiosos para a próxima atualização do Relatório de Transparência de Direitos Autorais.”

YouTube

Algoritmos do YouTube

Na última semana o youtuber norte-americano Ludwig Ahgren teve seu canal do YouTube banido após exibir durante uma live um curto trecho da música ‘Baby Shark’, áudio que há alguns meses se tornou viral, mas protegido pela lei de direitos autorais e pode fazer com que contas sejam punidas pelos algoritmos da empresa.

Após ter sido punido pelo YouTube Ahgren criticou a forma como a plataforma aborda os assuntos relacionados as possíveis violações do uso de imagem ou áudio, ao que tudo indica não emitindo alertas e punindo com banimento de imediato.

YouTube

Desenvolvedor: Google

Grátis – oferece compras no app

Tamanho: Varia segundo a plataforma

[ad_2]

Source link

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*